Ubaitaba-Bahia

Ubaitaba-Bahia.jpgDCIM100MEDIADJI_0032.JPG

Ubaitaba é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se em área de Mata Atlântica na mesorregião do Sul Baiano, na microrregião Ilhéus-Itabuna (ou Região Cacaueira). Limita-se territorialmente ao norte com o Ubatã e Ibirapitanga, ao sul com Aurelino Leal, ao leste com Maraú e Itacaré, e ao oeste com Gongogi. Seu território é dividido em três distritos: Ubaitaba (distrito-sede), Piraúna e Faisqueira.

Em 2010 tinha uma população de 20.691 habitantes, segundo dados censitários do IBGE. Atualmente estima-se que tenha 21.183 habitantes. A região do município é muito relacionada a cultura do cacau.

O nome Ubaitaba significa algo como “Terra das Canoas” ou “Cidade das Canoas” em língua Tupi.

Ubaitaba.png

História

Ubaitaba formou-se a margem esquerda do Rio de Contas numa planície entre as colinas e o rio. Sua origem relaciona-se à criação do Arraial de Faisqueira (1783), então área destinada à extração de madeira, a cultura da cana de açúcar, cereais e do cacau. Com o tempo, surgiram estradas para conduzir os trabalhadores às roças e escoar os produtos das lavouras para o Arraial de Faisqueira.

Deste movimento, foram instalando-se, lentamente, pessoas acima de Faisqueira na área da fazenda Tabocas formando um novo núcleo humano, baseado exclusivamente no comércio, sendo denominado posteriormente de Arraial das Tabocas.

E assim começou o desenvolvimento deste município, fundamentado na produção de cacau e na atividade comercial, função exercida pela cidade até os dias atuais. Em 1905, foi criada a primeira escola primária e, em 1908, a agência postal. Já bastante desenvolvido, em 1914, com fortes chuvas sobre a região o rio transbordou por suas margens destruindo o Arraial das Tabocas.

Essa enchente arrasou completamente o Arraial ocasionando a descentralização populacional da área. Mas, logo no ano seguinte a essa tragédia, estava erguido um novo povoado, desta vez, 200 metros acima para evitar novas catástrofes.

Mas agora, o novo Arraial ganhou um novo nome: Itapira. Em 1915, foi considerado oficialmente como Distrito do município de Barra do Rio de Contas – atualmente Itacaré.

Nos anos 20, o desenvolvimento de Itapira era tão visível que fez os comerciantes de Ilhéus lutar para que a estrada de ferro Ilhéus-Conquista chegasse a essa localidade.

Duas Emancipações

Até 1930, todo o cacau produzido na região tinha que ser, obrigatoriamente, transportado em canoas através do Rio das Contas até a cidade de Barra do Rio de Contas, que também era a sede do município.

Em 1930, finalmente, a estrada de ferro chegou por aqui. Ela foi instalada na margem direita do rio (onde hoje é a cidade de Aurelino Leal). Com isso, o distrito de Itapira passou a depender menos economicamente de Barra do Rio de Contas.

E a transportar o cacau diretamente para Ilhéus de maneira mais segura e mais rápida, através do trem de ferro. Isso fortaleceu ainda mais o comércio local e a vontade de emancipar-se.

Um ano depois, em 8 de julho de 1931, o distrito é considerado Vila pelo Estado e passa a ser a sede do município enquanto Barra do Rio das Contas fica sendo apenas um distrito de Itapira.

O primeiro prefeito foi o Renato Laport que já era prefeito Barra do Rio de Contas. Como a sede do município passou a ser em Itapira, ele só mudou para cá e continuou sendo o prefeito, tendo ficou no cargo até novembro do mesmo ano, sendo depois afastado por denúncias de corrupção.

Nesse período governou o município o Capitão Joaquim Monteiro Ribeiro por pouco mais de um mês – de novembro até o dia 19 de dezembro de 1931 quando Itapira voltou a ser distrito de Barra do Rio das Contas outra vez. Nesse mesmo ano Barra do Rio de Contas passou a ser chamada de Itacaré.

Isso gerou uma grande revolta na população de Itapira que não aceitava mais depender de Itacaré e iniciou-se uma luta das lideranças locais novamente pela emancipação, que veio a acontecer dois anos depois, mas agora de forma definitiva.

No dia 27 de julho de 1933 o Decreto Estadual nº 8.567 reconheceu Itapira como independente do Município de Itacaré. O Decreto foi recebido com grande festa pela população local que tanto lutou por essa autonomia política.

Em 1943, no último dia do ano, Itapira muda o topônimo em homenagem a atividade das canoas no município e recebe o nome indígena Ubaitaba, que quer dizer “Cidade das Canoas”.

Ubaitaba passou a ter então eleições regulares que sempre tiveram homens no comando do município. Somente em 2016, Ubaitaba elegeu a primeira mulher prefeita do município: Sueli Carneiro assumiu em 1 de janeiro de 2017 e governa a cidade até os dias atuais.

Site oficial da cidade