Sítio do Quinto-Bahia

Sitio-do-Quinto-Bahia.jpg

Sítio do Quinto é um município brasileiro do estado da Bahia, localizado na região semiárida, próximo a Antas e Coronel João Sá. De acordo com o panorama das cidades do IBGE, Sítio do Quinto tem uma população estimada para 2017 de 11.283 habitantes. Quem nasce em Sítio do Quinto é Sítio-Quintense ou SítiodoQuntense.

O município de Sítio do Quinto tem o seu nome originado do seu fundador ex-escravo “Velho Quinto”, que tinha uma pequena “bodega” onde ele vendia produtos variados em seu sítio. Na época, a região ficou conhecida pelos moradores como “Sítio do Velho Quinto” onde as pessoas se deslocavam para fazer compras e adquirir produtos mais baratos.

Sitio-do-Quinto.png

História

Nossa história começa no ano de 1905, quando um ex-escravo alforriado conhecido por todos como “Velho Quinto” construiu sua primeira casa. Diante desta grande conquista, o Velho Quinto teve a ideia de criar um pequeno sítio onde ele produziria o seu sustento. Através do seu árduo trabalho, a região começou a ser conhecida por todos e doze anos depois, em 1917, outros moradores foram se aproximando e construindo novas casas. Apesar de muitos falarem que eram terras improdutivas, o sítio do Velho Quinto prosperou produzindo bastante produtos típicos da região. Devido ao grande número de clientes que começavam a chegar, Velho Quinto abriu uma “bodega” onde eram vendidos diversos produtos de primeira necessidade: sal, açúcar, café, fumo, gás, óleo, farinha, feijão e outros.

A pequena mercearia continuou a prosperar e era muito comum as donas de casa e moradores da região dizerem: “-Vou lá no Sítio do Velho Quinto comprar açúcar, farinha, gás…“. Foi daí que o nosso nome surgiu: Sítio do Quinto. Devido ao grande sucesso de sua pequena “bodega” e do seu sítio, o ex-escravo devoto de Santo Antônio de Pádua, por volta do ano de 1918 convidou o Pe. Eutímio, da Paróquia de Jeremoabo, para celebrar a 1ª Santa Missa da região. Diversos moradores dos municípios circunvizinhos começaram a se deslocar para as terras de Sítio do Quinto. É neste mesmo período que a região é considerada povoado. Tradicionalmente, devido a sua fundação e seu fundador devoto do Santo Casamenteiro, a Trezena de Santo Antônio é comemorada até hoje e já virou tradição entre os moradores.

Em 1954, Sítio do Quinto passou de povoado para 1º Distrito de Jeremoabo. No mesmo ano é criado o 1º Cartório de Registro Civil, tendo como tabelião o Srº Antônio Ramiro de Carvalho, conhecido entre os populares como “Tonhão“. É neste mesmo período que foi criada a 1ª Sub-Delegacia de Polícia Civil, sendo o 1º Sub-Delegado o Srº João Francisco da Silva, conhecido na época como “João de Dona“.

Em 1958, o agora Distrito elege os seus primeiros vereadores: João José do Nascimento, representando o Partido Político União Democrática Nacional (UDN) e José Januário, conhecido como “Zeca de Nel“, representando o PSD. Em 1990, é empossado o 1º Presidente da Câmara de Vereadores, o Srº José Amâncio de Carvalho.

Emancipação

Em 1978, João José do Nascimento, junto com os seus colegas, iniciaram a luta em busca da Independência de Sítio do Quinto do Município de Jeremoabo. Por motivo de saúde, João José se afastou da política e ingressando em seu lugar o seu filho Erivaldo José do Nascimento; Antônio Marques do Nascimento, conhecido como “Tonho Tabaqueiro” e José Oliveira Souza, conhecido como “Magalhães“.

Empenhados em conseguir a emancipação política de Sítio do Quinto, os três foram ao Gabinete do Deputado Faustino Lima, em Salvador, solicitar o andamento do processo de Emancipação Política do Distrito de Sítio do Quinto. O projeto foi criado e aprovado pela Assembléia, através do Chefe do Executivo Estadual, o Srº João Durval Carneiro, mas por motivo logístico não foi executado o plebiscito.

No dia 14 de maio de 1989 é realizado o tão esperado plebiscito, onde mais de 95% do eleitorado voltou a favor da Emancipação Política de Sítio Quinto. Em 13 de Junho de 1989, Sítio do Quinto é publicado no Diário Oficial, através da Lei Nº 5001/89 tendo a garantia promocional da localidade como município. A lei foi sancionada pelo então Governador da BA, Nilo Coelho do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). A emancipação coincidiu com a data do Padroeiro Santo Antônio de Pádua.

É interessante mencionar de passagem, que existem informações que o Coronel João Sá seria filho de Cícero Dantas – outro político da área -, que teve seu nome atribuído a um município portador do título nobiliárquico de Barão de Geremoabo, de onde originou a denominação de Jeremoabo, agora iniciada com J, dada ao município do qual Sítio do Quinto se emancipou.

Site oficial da cidade