Morro do Chapéu-Bahia

Morro-do-Chapeu-Bahia.jpg

Morro do Chapéu é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população estimada em 2017 era de 36.856 habitantes.

O topônimo Morro do Chapéu foi inspirado no alto monte de 1328 metros de altitude, distante 8 quilômetros da sede. Na parte mais alta do monte existia uma pedra semelhante a um chapéu, com abas caídas, principalmente vista da parte sul, de onde teria vindo João Coelho. A pedra desabou ao longo dos anos e hoje já não existe.

Além dessa interpretação, existe outra que atribui o nome “Morro do Chapéu” a existência dos índios Payayas, que habitavam nas encostas do referido morro e penteavam o cabelo em forma de chapéu.

Morro-do-Chapeu.png

História

A sede de Morro do Chapéu teve sua origem em uma fazenda pertencente ao Conde da Ponte, fundada pelos povoadores Manoel Ferreira dos Santos e seus filhos, Antonio José e Domingos José Joaquim Cardoso, entre outros. As informações encontram-se em registros deixados pelo fundador do jornal Correio do Sertão, Honório de Souza Pereira.

O território de Morro do Chapéu foi descoberto pelos bandeirantes que se adentravam pelo interior do país rumo a diversas localidades. Entre os bandeirantes, Gabriel Souza e João Coelho de Souza, os quais teriam galgado o planalto onde se acha o “Morro do Chapéu”.

Segundo Francisco Borges, em seu livro A Margem da História da Bahia, a existência da atual Morro do Chapéu começou por volta de 1570 para 1600, quando o bandeirante João Coelho de Souza, subindo o Rio Paraguassú, atingiu as matas do Orobó e dali alcançou as cabeceiras do rio Utinga. Depois disso, subiu a serra da Boa esperança e atravessou Morro do Chapéu, quando ainda era uma mata virgem, habitada por índios.

Documentos antigos, arquivados na Prefeitura de Jacobina, constam que o arraial se chamava Gameleira, nome da fazenda que foi do Conde da Ponte.

A fazenda Gameleira era conhecida também como “Da Outra Banda”. A gameleira secular que deu origem ao seu nome foi destruída, durante a construção da Estrada do Feijão, Ba 051.

Geografia

Localiza-se a 384 km a noroeste da capital do estado, na zona oriental da Chapada Diamantina e possui altitude média de 1.100 m. Os pontos de maior altitude chegam a 1.350m, sendo, por isso uma das cidades mais frias do estado com temperaturas em torno de 10°C em algumas épocas do ano.

Clima

Morro do Chapéu possui um clima tropical de altitude e é classificado na escala climática internacional de Köppen como Cwa. Com temperaturas suaves para a região com baixa latitude, por volta de 18 a 28 °C, no verão. E no inverno, já foi registrada temperatura mínima abaixo de 10 °C, embora ocorram muito raramente. E por apresentar um verão úmido e mais fresco que as cidades do entorno, moderada principalmente pela altitude acima dos 1000m e pelas chuvas de verão que se apresentam torrencialmente ou advindas do oceano. Possuindo invernos relativamente frios e mais secos e verões úmidos com dias quentes e noites mais frescas.

A cidade apresenta duas estações bem definidas: A das chuvas vai de novembro a abril e a da seca vai do final de abril a outubro.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1970 e a partir de 1977, a menor temperatura registrada em Morro do Chapéu foi de 7,2 °C em agosto de 1963, nos dias 24 e 31, e a maior atingiu 36,8 °C em 3 de dezembro de 2015. O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 124,8 milímetros (mm) em 27 de dezembro de 1977. Outros grandes acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram: 122,2 mm em 18 de novembro de 2014, 111 mm em 16 de março de 1969, 109,4 mm em 27 de março de 1997, 105,3 mm em 22 de dezembro de 1963, 104,5 mm em 9 de março de 1987 e 101,4 mm em 2 de abril de 2017.

Economia

A economia da região é fortemente baseada na agropecuária de subsistência, porém nos últimos anos vem se desenvolvendo na região investimentos em agricultura empresarial, baseada no tomate, morango e uva, inclusive com instalação de vinícolas de vinhos finos de origem francesa.

A região também recebe fortes investimentos na produção de energia eólica, inclusive com investimentos de empresas energéticas estrangeiras.

Apesar do potencial ecoturístico da região, essa característica é pouco explorada nesse município.

Turismo

Suas principais atrações turísticas são a Gruta dos Brejões, Cachoeira do Ferro Doido, declarado como “MONUMENTO NATURAL”, e o Parque Estadual Morro do Chapéu; são essas 3 áreas de Preservação e conservação ambiental.

O município tem outros pontos turísticos, como a Cachoeira do Agreste, a Cachoeira de Domingos Lopes, com suas trilhas maravilhosas, o Buraco do Possidônio, em cujo interior há árvores nativas como o cedro. Cientistas julgam ter sido um meteoro gigante que caiu e abriu essa cratera (há geógrafos que afirmam tratar-se de uma dolina); o Balneário do Tareco, que tem águas termais e segundo a população são medicinais; o Morrão, morro que deu origem ao nome do município por ter a forma de um chapéu, sendo visto do lado Sul; além de um centro ufológico e a Vila do Ventura.

Site oficial da cidade