Lauro de Freitas-Bahia

Lauro-de-Freitas-Bahia.jpg

Lauro de Freitas é um município da Região Metropolitana de Salvador, no Litoral Norte do estado da Bahia, no Brasil. Segundo o IBGE, em 2018 sua população era estimada em 195.095 habitantes, espalhados em 57 quilômetros quadrados, resultando em aproximadamente 3.196 habitantes por quilômetro quadrado. O município é um dos que mais crescem no país e foi considerado o quarto município que mais gerou empregos no ano de 2009, fato que se repete ao longo dos anos.

Topônimo

A freguesia de Santo Amaro de Ipitanga tinha esse nome pois cresceu a partir da igreja matriz de Santo Amaro de Ipitanga. Assim ficou até sua emancipação a partir de Salvador, em 1962, quando o vereador Paulo Moreira de Souza propôs substituir Santo Amaro de Ipitanga por Lauro de Freitas, homenageando o político baiano Lauro Farani Pedreira de Freitas, candidato a governador da Bahia e falecido na campanha de 1950 juntamente com Gercino Coelho (pai do ex-governador Nilo Moraes Coelho), em um acidente aéreo em Bom Jesus da Lapa.

Essa homenagem póstuma foi uma grande motivação, assim como ocorreu em Simões Filho, para que o distrito soteropolitanose transformasse em um município. Atualmente, há um movimento polêmico na cidade para que se retorne ao seu antigo nome, Santo Amaro de Ipitanga. Por causa disso, a prefeitura pretende conscientizar os cidadãos da história da cidade para, depois, realizar um plebiscito para definir o nome da cidade.

Lauro-de-Freitas.png

História

Por volta do ano 1000, a região atualmente ocupada pelo município foi invadida por povos tupis procedentes da Amazônia, os quais expulsaram os seus antigos habitantes, os tapuias, para o interior. No século XVI, quando chegaram os primeiros europeus à região, a mesma era habitada pelo povo tupi dos tupinambás. Em 1552, Garcia d’Ávila recebeu, de Tomé de Sousa, lotes de terra no litoral baiano. Ali, foi instalada, com apoio da família d’Ávila, proprietária da Casa da Torre, uma missão jesuíta, a qual deu origem, em 1758, à freguesia de Santo Amaro de Ipitanga.

A região era habitada por indígenas no Morro dos Pirambás. Por situar-se numa zona próxima ao mar, o que favorecia o escoamento da produção agrícola, vieram os engenhos de açúcar e, com eles, os escravos africanos, que influenciaram fortemente a cultura local. Ainda hoje, se podem encontrar descendentes de famílias escravas, guardiãs dos costumes africanos e praticantes do candomblé.

No século XVII, a história da cidade foi marcada por um surto de cólera que dizimou parcela considerável da população, e pela construção da matriz de Santo Amaro de Ipitanga, erguida na parte mais alta da cidade. A matriz se constituiu na construção mais representativa desse período colonial no Brasil.

Originalmente, Lauro de Freitas pertencia a Salvador, até que, em 1880, passou a ser distrito de Montenegro, atual Camaçari. Em 1932, retornou a Salvador, até que, em 31 de julho de 1962, foi transformado em município. Onze anos depois, passou a integrar a Região Metropolitana de Salvador.

A gestão do prefeito Márcio Araponga obteve 92% de rejeição em pesquisa realizada em 2015. Nesse período, houve fechamento de onze escolas, fechamento da Clínica do idoso inaugurada em 2014, fechamento da única maternidade do município, funcionamento da Unidade de Saúde Avançada (Usa) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) sem médicos (os quais estavam contratados sem concurso público por oito anos e foram demitidos em outubro de 2016) e tentativa de privatização dos estacionamentos públicos municipais (zona azul).

O vice-prefeito anunciou em 21 de julho de 2016 rompimento com o então parceiro de chapa, passando a ser oposição. Também foram relatados fechamento de 4 unidades de saúde. Nas eleições municipais de 2016, o candidato da situação foi Mateus Reis (PSDB) e a maior votação foi recebida pela ex-prefeita Moema Gramacho (PT) que venceu o pleito com 52,32% dos votos válidos.

Em novembro de 2016, o prefeito fechou o departamento de Defesa Civil, deixando a população descoberta. fortes chuvas ocorridas após o fechamento da defesa civil deixaram a população em pânico. Devido à forte rejeição pela população e pelo próprio partido o prefeito anunciou que trocará de legenda. Em 1 de Janeiro de 2017 o agora ex-prefeito Márcio Araponga transmite o cargo a Moema Gramacho (PT).

Site oficial da cidade