Itamari-Bahia

Itamari-Bahia.jpg

Itamari é um município brasileiro do sul do estado da Bahia. Sua população estimada em 2010 era de 7.904 habitantes.

Itamari.png

História

Até 1985, as terras que passaram a pertencer a família Freire e posteriormente constituir a área territorial do município de Itamari, era totalmente composta de florestas tropicais, dentro da faixa de Mata Atlântica do Sul da Bahia. Pouco devastada até então, possivelmente era habitada por nativos da tribo Pataxós, além de alguns posseiros invasores, que ali cultivaram plantas leguminosas (feijão, milho, mandioca e etc.).

A área adquirida pelos Freires nos últimos cinco anos do Século XIX, compunha uma sesmaria constituída de 9.000 (nove mil) hectares. Estas vastas terras pertenciam a um senhor conhecido naquelas paragens pelo nome de Dr. Augusto, seu sobrenome desconhece-se; como relata o Sr. Zacarias Ribeiro, 87 anos e neto do patriarca João Freire de Carvalho. Segundo ele, este senhor residia no município de Nilo Peçanha, então sede e comarca da região.

João Freire de Carvalho comprou toda a área pelo valor de 12.000 (doze mil) contos de Réis, moeda circulante no início do Século XX, realizando o pagamento à vista. Proprietário de terras no Vale do rio Jiquiriçá, especificamente na região do povoado de areias, atual Municipal de Ubaíra, onde residia com seus familiares, João Freire, dividia suas responsabilidade conjugal, com Maria Rosa de Jesus; compondo neste primeiro matrimônio, sua família, com nove filhos, sendo seis mulheres e três homens. Foram eles: Maria Francisca de Carvalho, Júlia, Madalena, Rita, Agemira, Joana e Manoel, Flávio e José. Estes, constituíram os primeiros núcleos dominantes de imigrantes na Fazenda Tabocas.

Neste intervalo temporal que vai da aquisição das terras, a transferência do primeiro membro da família, João Freire, havia levado para aquela região, alguns trabalhadores recrutados no Vale do Jequiriçá, para dá início ao processo de desmatamento e plantio de algumas culturas permanente como o café e outras rotativas (feijão, milho e mandioca), desta forma, preparavam as bases para sua futura transferência definitiva.

Existe entretanto, um ponto de divergência referente ao valor pago por João Freire na aquisição da área; conforme consta na revista Cidades do Cacau, nº36 publicada pela CEPLAC – Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira em 1983 e o depoimento de Mizael Inácio de Vasconcelos 86 anos, com algumas relações de parentescos com os Freires e ex-prefeito do Município entre 1966 e 1972, ambos afirmam que Freire pagou pelas terras 9.000 (nove mil) contos de Réis. Entretanto, estes dados são contestados por Zacarias Ribeiro que afirma, em seu depoimento, que o valor pago foi 12.000 (doze mil) Contos de Réis, efetuado à vista, por seu avô, pela aquisição da sesmaria.

Há divergências também, referente ao anterior proprietário da área. Tanto no depoimento de Mizael Inácio de Vasconcelos, quanto na publicação da CEPLAC, constata-se que a área pertencia a Francisco Atanásio Gomes, porém Zacarias Ribeiro contesta conforme depoimento abaixo transcrito.

Impossibilitado de desfazer de suas propriedades em Areias (atual Ubaíra), em consequência da necessidade de manutenção da sua numerosa família, e se deslocar imediatamente realizar o casamento de suas filhas, a Sr. Maria Francisca de Carvalho, com o jovem Sr. Pedro Ribeiro, tendo estes, após o matrimônio, recebido como prêmio, a posse de terras dentro da extensa área, tornando-se, desta forma, os primeiros membros da família Freire a habitar definitivamente na então Fazenda Tabocas, possivelmente nos meados da década do Século XX.

Site oficial da cidade