Antas-Bahia

Antas-Bahia.jpg

Antas é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se a uma latitude 10º24′ sul e a uma longitude 38º20′ oeste, estando a uma altitude de 610 metros. Tem como rodovias de acesso a BA-392 e a BR-110.

O município possui um distrito, que é o Distrito de Duas Serras, localizado 7 km antes da entrada da cidade pela BA-352.

Antas.png

História

Os índios quiriris foram os primeiros habitantes da região, sendo, no domínio português, catequizados pelos padres da Companhia de Jesus. No local da catequese, formou-se uma povoação, que teve rápido desenvolvimento a partir das entradas que penetravam o sertão baiano. Município criado com território desmembrado de Cícero Dantas e de Jeremoabo, por Lei Estadual nº 570, de 13 de agosto de 1953. A sede, criada como distrito, em 1933, foi elevada à categoria de cidade quando da criação do município.

O município leva o nome de Antas, em virtude do fato dos primeiros moradores terem encontrados várias Antas (animal) no local, assim, resolveram dar o nome de “Antas”.

Outra versão da história, retrata o episódio de maneira diferente, afirmando que teria sido encontrada somente uma Anta, ou mesmo, o nome teria sido dado por outro motivo. Nenhuma das versões aparentemente é perfeitamente comprovável.

Pontos turísticos

Cruz, erguida no Século XIX em ponto de difícil acesso na Serra Anane. É reverenciada pela comunidade principalmente na época dos festejos da Semana Santa, quando tradicionalmente os moradores acordam de manhã cedo e seguem para lá em silêncio ou murmurando orações. É um momento de religiosidade profunda, de conversa íntima com o universo do divino, de pedir e de agradecer. Materializadas nas formas de ex-votos, as graças concedidas são depositadas nos pés das cruzes.

A quantidade de objetos que o tempo acumulou oferece testemunho da força do local. Muitos pedidos foram realizados: curas, desejos, aspirações, tudo o que é importante para a vida. Algumas crianças que tiveram o destino de morrer “pagãs” também estão enterradas em pequenas covas ao redor do cruzeiro. Os locais de sepultamento são lembrados com cruzes azuis que surgem do mato de flores amarelas. É um espaço de muito respeito.

Conta-se que certa vez um homem bêbado brincou com os ex-votos, jogando alguns deles na mata da encosta da serra. Ele morreu pouco tempo depois, e seu fantasma apareceu para um amigo pedindo-lhe para que recuperasse os objetos e que os depositasse novamente ao pé da cruz. O amigo atendeu ao pedido, mas não conseguiu encontrar todos. Faltava um único, que o próprio fantasma teve que encontrar e dizer a localização: próximo a um pé de facheiro, escondido dentro de um gravatá. O amigo então conseguiu recuperar o que faltava e a alma do homem descansou.

Site oficial da cidade