10 Maiores marcas de celular do mundo

10-Maiores-marcas-de-celular-do-mundo.jpg

Confira quais são as Maiores marcas de celular do mundo. número de marcas de smartphone aumenta a cada ano redor do mundo. Mas você saberia dizer qual delas está no topo das vendas? A Apple muitas das vezes parece dominar o mercado, com seus modelos de iPhone duramente disputados pelos usuários. No entanto, quando falamos de números reais de venda, a empresa norte-americana perde de outras fabricantes.

Maiores marcas de celular do mundo

10-Tecno – 4.4

9-HMD – 4.5

8-Lenovo – 9.9

7-LG – 10.2

6-Vivo – 29.0

5-Oppo – 29.6

4-Xiaomi – 33.0

3-Apple – 41.3

2-Huawei – 54.2

1-Samsung – 71.6

A Huawei surpreendeu e passou a ocupar novamente a segunda posição no ranking de maior fabricante de celulares do mundo. A empresa chinesa se destacou por apresentar crescimento expressivo de mais de 50% em comparação ao ano passado, com produção de 59,1 milhões de smartphones ao longo dos primeiros três meses de 2019. Recentemente, a companhia retornou ao Brasil com o lançamento dos celulares Huawei P30 Pro e do P30 Lite.

A Apple, por outro lado, experimentou um forte declínio, caindo para a terceira posição após fabricar 36,4 milhões de iPhones no período, queda de 30,2% em comparação ao ano anterior. Já a Samsung continua líder de mercado com 71,9 milhões de telefones Galaxy comercializados entre janeiro e março. O número, porém, representa redução de 8,1%. Os dados são da consultoria IDC.

Os números da Huawei chamam atenção por conta do cenário global desfavorável no mercado de celulares. Segundo o relatório da IDC, as vendas de smartphones caíram de 332,2 milhões nos primeiros meses de 2018 para 310,8 milhões em 2019. Ainda assim, a empresa chinesa vendeu quase 20 milhões de telefones a mais no período.

Somente outra fabricante teve resultado positivo no levantamento: a Vivo, que incrementou o número de smartphones em 24% no trimestre, empatando com a Oppo em quinto lugar no ranking mundial. A Xiaomi completa a lista da IDC, na quarta colocação, logo atrás da Apple. Das seis empresas que aparecem no documento, quatro são chinesas.